Seguidores

quarta-feira, 30 de maio de 2012

CAPÍTULO DEZESSETE

Algumas Descobertas


         Uma porta se abriu, mas quem passou por ela foi uma mulher aos prantos, amparada por um homem desolado e o médico que os acompanhava. Todos ficaram olhando aquelas pessoas saírem por outra porta do outro lado do ambiente. Perceberam que os familiares das vítimas estavam em outra sala. Puderam ver uma mulher, esposa de Marco Aurélio e outro casal, junto com um rapaz: pais e namorado de Karen.

         Um dos funcionários falou baixinho, mas todos ouviram:

- Os pais de Gustavo.

         Pedro chegou perto de Gabi e perguntou à ela:

- Você ainda tem o telefone dos pais de Isa?
- Aqui - entregou o celular para ele sem virar o rosto.

         Continuou olhando pela janela.

         Pedro se afastou, procurou o número e ligou. Quando pensou em desistir, alguém atendeu. Conversou com a irmã de Isadora, Bianca, que estava muito nervosa. Disse que os pais já estavam a caminho, tinham saído assim que souberam. Já deviam estar próximo. Ela pediu a ele que a mantivesse informada, ele a tranquilizou.

         Já fazia algum tempo que estavam ali, mas ninguém queria ir embora. Apesar da insistência de alguns para que Clarice fosse para casa descansar, tirar a roupa ainda com sangue, ela não queria sair sem ter notícias de Isa.

         Gabi saiu de seu transe quando viu a porta se abrir e passar por ela Ana Paula. Havia se esquecido de Ana Paula, claro que ela chegaria a qualquer momento, afinal, estavam juntas. Percebeu que ela estava abatida, os olhos vermelhos de chorar. Dirigiu-se a Clarice, as duas conversaram um pouco e Clarice abraçou Ana Paula. Choraram, assim, abraçadas.

         Gabi as observou.

“Sobreviva Isa, mesmo que seja para ela”.

         Virou-se novamente para a janela, deixando as lágrimas escorrerem. Lembrou das vezes que teve Isa em seus braços, lembrou do dia em que a tinha visto pela primeira vez, naquela boate. Depois daquele olhar sua vida havia mudado, sabia que a amava e que agora ela estava lutando pela vida e que, se voltasse, seria para os braços da outra.

         Alguns minutos depois, Gabi viu os pais de Isa chegarem. Reconheceu-os pelas fotos que viu em seu apartamento. Chegaram acompanhados de um funcionário do hospital, estavam muito abalados. Olharam para as pessoas, a mãe de Isa olhou para Ana Paula, que levantou e a abraçou. Pedro foi até eles e se colocou a disposição para o que precisassem, entregou seu cartão com os telefones para o pai de Isa, que pegou e agradeceu. O funcionário os encaminhou para outra sala, Ana Paula entrou junto. Gabi viu a cena e sentiu vontade de ir atrás, mas não se moveu.

         Clarice observou e olhou pra Gabi, foi até ela.

- Você devia entrar junto, acho que quando ela acord...
- Tudo bem Clarice, o importante agora é que ela saia dessa bem. - e foi sentar-se ao lado do irmão, que a abraçou.

         Passaram-se mais alguns minutos e o médico veio falar com eles, informou que a cirurgia de Marco Aurélio ainda não havia terminado, mas que Karen estava bem e que Isa já estava na sala de recuperação. Estava reagindo bem, a bala havia se alojado no ombro, que eles haviam retirado e que todos deveriam ir para casa, pois não poderiam vê-los hoje.
  
         Pedro queria levar Gabi para casa, mas ela não queria sair dali, embora soubesse que não poderia vê-la, queria ficar ali. Clarice conversava com sua mãe no celular, que já havia ligado diversas vezes para saber se ela estava bem. Desligou e veio falar com Pedro.

- Não tenho coragem de encarar o dia de amanhã sem Gustavo - limpou as lágrimas.
- Clarice, vamos embora, você precisa descansar, quero tirar Gabi daqui. Vamos junto, você fica com a gente até amanhã. Acho que nem você nem nós queremos ficar sozinhos hoje, vamos?
- Acho que tem razão, preciso tirar essa roupa. Vou com vocês sim, mas preciso passar em casa antes.
- Vamos, eu te levo.

         Caminharam até Gabi e a convenceram, depois de muita conversa. Ela concordou, com a condição de voltar cedo.

- Tenho o celular de Ana Paula e, também, qualquer coisa ela me liga - falou Clarice.

         Chegaram na casa de Gabi e Pedro próximo à uma hora da manhã. Estava muito frio e ficaram na sala. Pedro acendeu a lareira e abriu um vinho para aquecer. Clarice adormeceu no sofá. Pedro a cobriu com o cobertor. Gabi ficou sentada, com as costas no sofá que Clarice dormia, olhando as chamas e pensando em Isadora e no amor que sentia por ela. Recapitulou todos os momentos que tiveram. Pedro deitou no outro sofá e dormiu.

         Amanheceram assim, as chamas do fogo ainda vivas, pois Gabi as alimentou a noite toda, não dormiu.

         Clarice encontrou Gabi na cozinha, com uma caneca de café na mão.

- Bom dia, acho que você não dormiu, não é? - Perguntou.

Gabi olhou para ela e perguntou:

- Você acha que ela já acordou?
- Vou ligar para Ana Paula.

         Voltou para a sala, pegou seu celular e veio para a cozinha. Fez sinal para Gabi lhe servir uma caneca também.

- Oi Ana Paula, é Clarice, como ela está?
- A princípio está bem, hoje ela vem para o quarto, ainda não a vi. E você, como está?

Suspirou...

- Bem, estou bem. Daqui a pouco, estaremos aí, daí conversamos melhor.
- Certo, mas Clarice, você vem com quem? - Perguntou desconfiada.
- Vou com Gabriela - falou olhando para Gabi, que a encarou assustada.

         Despediu-se e encarou Gabi.

- Ela está bem e hoje vai para o quarto, você vai comigo. Quer me perguntar algo?
- Não, só, sei lá, ela pode não gostar... Ana Paula, não sei se ela sabe - falou sem conseguir terminar o que iria dizer.
- Gabi, eu não devia fazer isso, mas vou fazer. Olha aqui, Isadora e Ana Paula terminaram e não existe mais nada entre elas, deixa de ser tonta, não percebeu ainda que ela quer você e, pelo jeito, você também a quer - falou encarando Gabi, que a olhava sem acreditar no que ouvia.

         Combinaram com Pedro que iriam comer, tomar banho e iriam para o hospital.

         Chegaram ao hospital próximo ao meio dia. Clarice perguntou de Marco Aurélio e Karen e ficou sabendo que estavam bem. Conseguiram entrar e foram encaminhados para a mesma sala que estavam no dia anterior. Ana Paula e o pai de Isa estavam lá.

         Clarice abraçou Ana Paula, que retribuiu com o mesmo carinho.

- Já viram ela? - Perguntou
- Ainda não. Hoje à tarde ela vai para o quarto, daí poderemos entrar um pouquinho. A mãe dela está com ela agora, mas acho que ainda não acordou.

         Clarice viu que Ana Paula olhava para Gabi.

-Você já conhece, não é? Gabriela e o irmão Pedro.
- Claro, nos vimos.

         E estendeu a mão para Pedro e olhou para Gabi, cheia de dúvidas, mas já estava entendendo.

         Pedro sentou ao lado do pai de Isadora, que estava abatido e demonstrando cansaço. Em seguida a mãe de Isadora apareceu e disse a eles que daqui a pouco ela seria transferida e que estava bem. Ana Paula apresentou os pais de Isa, Dona Marta e seu Francisco, à Clarice e à Gabi. A mãe de Isa olhou para Gabi e perguntou.

- Seu nome é Gabriela?

         Gabi assentiu e viu a expressão da mãe mudar, olhar para Ana Paula e para ela como se pensasse: e agora?

         Isa tinha contado à mãe, em algumas conversas por telefone, sobre seu envolvimento com ela, omitindo alguns detalhes, mas os principais havia dito.

         Pedro convenceu-os a saírem do hospital para comer, tomar banho, pois Isa precisaria deles depois e eles precisariam estar bem. Como não tinham a chave do apartamento de Isa, pois suas coisas ainda estavam no Banco, ele os levou para sua casa. Saíram e deixaram as três, que ficaram sentadas em silêncio, pois não havia muito a ser dito. Clarice estava completamente atrapalhada com a situação. Ora conversava com Gabi, ora com Ana Paula.

         Até que o celular de Gabi interrompeu salvando-a da situação, era Marina, que estava querendo notícias. Gabi conversou por alguns minutos com ela e quando desligou, viu que Clarice e Ana Paula conversavam baixinho, não interrompeu, afastou-se e ficou observando-as de longe.

         Passou mais ou menos uma hora e uma enfermeira muito simpática veio até elas.

- Ela já está no quarto, agora vocês podem vê-la, mas, como ela ainda está sedada, peço que tenham paciência. Não a acordem.

         As três se olharam e Clarice tomou a dianteira.

- Vamos - falou decidida.

         As três entraram no quarto e viram Isadora na cama, com alguns aparelhos ligados a ela e com o ombro esquerdo coberto com ataduras. Aproximaram-se em silêncio. Gabi chegou próximo à cama pelo lado esquerdo e passou a mão em seu cabelo, encostou seus lábios em sua testa, sentiu o calor de sua pele, fechou os olhos e a beijou. Ficou assim por alguns segundos, com os lábios próximos a pele de Isa e se afastou, sentindo as lágrimas caindo.

         Ana Paula aproximou-se pelo outro lado e segurou a mão de Isa.

         Clarice observou de longe e fez sinal para as duas se afastarem.

- Se a enfermeira tivesse dito que era para vocês a acordarem, acho que não teriam feito melhor, parem de tocá-la - falou com certa rispidez.

         Ana Paula sorriu para Clarice e se afastou. Gabi continuou ali olhando para Isa e sentiu vontade de pegá-la em seus braços, abraçá-la, protegê-la.

         Ficaram ali por mais alguns minutos, até que a enfermeira apareceu e pediu para que elas saíssem. Gabi pediu para ficar mais um pouco, o que a enfermeira assentiu um pouco contrariada.

- Mais alguns minutos e você tem que sair, certo?

         Clarice e Ana Paula saíram e deixaram Gabi com Isa, que ficou ali, imóvel. Quando viu que estava sozinha, aproximou-se do ouvido de Isa e falou baixinho:

- Eu te amo! Volta logo pra mim... - e beijou seus lábios suavemente.

         Na outra sala Clarice e Ana Paula estavam sentadas em silêncio até que Ana Paula falou:

- É ela, não é Clarice?
- É - respondeu percebendo que Ana Paula estava se referindo a Gabi.
- Percebi que havia alguém por trás dessa mudança de Isa, agora entendo - falou com o olhar fixo no chão.
- Sim, embora tenham acontecido muitas coisas que as afastaram, acho que agora nenhuma delas vai querer perder mais tempo - disse e encarou Ana Paula, que por um momento manteve o olhar.

         Clarice ficou sabendo, por intermédio dos colegas, que vinham saber notícias, que o enterro de Gustavo seria as 17:00. Decidiu que iria. Ana Paula perguntou se ela queria que fosse junto, ela aceitou, seria muito bom ter Ana Paula por perto.

         Quando as duas saíram para o enterro, os pais de Isa estavam voltando para o hospital. Encontraram-se na porta, elas falaram que Gabi estava com Isa. Não saiu de lá, apesar dos protestos da enfermeira.

         Os pais de Isa entraram no quarto junto com Pedro. Gabi os viu e se afastou, deixou que eles se aproximassem da filha. Ficou ao lado de Pedro, que a abraçou.

         Passados alguns minutos, perceberam que Isadora começou a se mover, todos se aproximaram. Lentamente, ela abriu os olhos e a primeira pessoa que viu foi Gabi, que estava ao lado de sua mãe. Viu o pai e, mais afastado deles, Pedro, que sorria para ela.

         Tentou falar algo, mas não conseguiu, olhou novamente para todos e apagou novamente. Todos ficaram emocionados, perceberam que ela estava voltando, aos poucos.

         O enterro de Gustavo foi muito triste, todos os colegas do Banco, amigos, parentes, todos muito emocionados. No momento em que o caixão desceu, Ana Paula abraçou Clarice, que soluçava baixinho.

4 comentários:

  1. Que cap incrivel...
    não tem nem como descrever... agora só espero que a Isa e a Gabi fiquem juntas de uma vez.
    beijoos Wind Rose

    ResponderExcluir
  2. Nossa esperar até o próximo capitulo para saber as primeiras palavras de Isa vai me matar de curiosidade.Que a quinta feira chegue logo!!!!
    Bjs Wind

    ResponderExcluir
  3. preciso da hist´roia toda pleaseeee, chorei atéééééééé

    ResponderExcluir