Seguidores

quarta-feira, 30 de maio de 2012

CAPÍTULO SEIS

Os Olhos Falam e o Coração Escuta


         Isadora estacionou o carro na frente do restaurante. Antes de descer viu Gabriela na parte externa, nas mesas que ficam instaladas próximas a areia. Saiu, fechou a porta e caminhou em direção ao seu desejo. Tentou não pensar em nada nestes segundos que seguiram.

Gabriela quando viu Isadora descer do carro achou que seu coração ia sair pela boca. Baixou os olhos para a garrafa de água e esperou que ela se aproximasse. Sabia que se olhasse para ela teria um bloqueio mental. Tudo que havia pensado em dizer apagaria de sua mente, mas não resistiu, olhou e a viu caminhando em sua direção como se flutuasse. “Maravilhosa!”. Movida pelo instinto, desejo, e vontade, levantou e, antes que Isadora colocasse o pé no primeiro degrau para subir no deck, Gabriela chegou até ela. Olhou fixamente em seus olhos.

-Vem comigo?
- Vou pra onde você quiser...

         Pegou a mão de Isadora e atravessou a rua, rapidamente, sem palavras.

         Entrou em sua casa pela porta lateral, que se abria para uma sala com um janelão de vidros e uma vista maravilhosa para o mar. Atravessou a sala, o corredor e abriu a porta do seu quarto. Parou e olhou para Isadora. Não sabe se fez a pergunta nem se Isadora respondeu, mas sabia que tinha ouvido.

- Sim... eu quero!

         A porta do quarto se fechou com as costas de Isadora e com Gabi a empurrando. Antes mesmo de fechar já tomou sua boca num beijo correspondido com a mesma intensidade e vontade. Gabi segurava os braços de Isadora acima de sua cabeça, passou a boca e a língua em seu pescoço, absorvendo o cheiro, o gosto. Isadora fechou os olhos e se deixou levar pelas sensações novas e maravilhosas que aquela menina estava lhe proporcionando. Por um momento seus olhares se encontraram e desta vez foi Gabi quem respondeu sem saber se tinha ouvido a pergunta.

- Sim! Quero você... agora...!!!

         Colocou a mão nas costas de Isadora, que sentiu seu vestido abrir lentamente. Enquanto mordia de leve o queixo de Isa, Gabi baixou as duas alças do vestido, que caiu nos pés de Isadora. Afastou-se o suficiente para olhar os mais lindos seios que já tinha visto em sua vida. Enquanto abria o soutien, pressionava com os lábios por cima do tecido, mordendo de leve, o que levou Isadora a gemer baixinho. Retirou a peça e se deliciou com a visão que teve. Passou a língua ao redor do biquinho, que demonstrava o desejo de Isadora. Não aguentou e sugou com vontade um, depois o outro. Isadora gemia alto, não conseguia mais conter o desejo que sentia. Gabi foi descendo, passando a língua,  pressionando com os lábios, beijando a pele, saboreando cada pedacinho  de Isadora, o que a fez tremer. Ficou de joelhos, com as mãos segurou as nádegas de Isadora e a puxou de encontro a sua boca. Passou sua língua em seu sexo, por cima da calcinha, enlouquecendo Isadora. Pressionou com a língua, sugou, mordeu suavemente. Levantou um pouquinho a calcinha com o dedo e passou a língua por baixo levemente, sem tirar a peça, que já estava muito molhada. Olhou para Isadora, que demonstrava desejo, tesão, vontade de ser devorada, gemendo e se movendo de forma lindamente sensual.  E a viu assim, maravilhosa, uma imagem que jamais esqueceria. Sem tirar os olhos retirou sua calcinha e encostou a língua no sexo molhado de Isadora. Queria sentir seu gosto, seu cheiro, mas foi interrompida.

         Isadora a puxou e a fez se levantar. Num movimento rápido, colocou Gabi na mesma posição que ela estava antes.

- Agora é minha vez, sussurrou no ouvido de Gabi

         E, da mesma forma, foi despindo-a. Primeiro a blusa, que saiu rapidamente. Isa pode experimentar aqueles seios que tanto desejou em sua boca; forte, mas com delicadeza; voraz, mas com cuidado. Com a boca no seio de Gabi, Isa puxou o cordão da calça, que abriu, caiu sozinha. Não teve a mesma paciência de Gabi e, rapidamente, abaixou também sua calcinha. Ficou de joelhos em sua frente. Viu o corpo bronzeado, as tatuagens. Sentia-se embriagada com aquela visão e, sem esperar, afastou as pernas de Gabi. Passou a língua e sugou como se quisesse saciar sua sede naquela umidade. Gabi respondeu de forma escandalosa, acendendo ainda mais a vontade de Isa.

         Foi a vez de Gabi puxar Isa e fazê-la levantar. Novamente seus olhares se encontraram mas, pela primeira vez, nuas, corpos colados, sem palavras, apenas a respiração descompassada. Um beijo demorado e cheio de desejo, os corpos se experimentando, se encaixando.

         O beijo terminou na cama, com Gabi em cima de Isa, se movendo, se esfregando em sua coxa, se encaixando em seu sexo. Isa correspondia da mesma forma, sussurros, gemidos, boca, língua, lábios, sexo molhado, pernas encaixadas, no mesmo ritmo. Mãos explorando, puxando; unhas arranhando; palavras desconexas. Gabi sentiu seus cabelos sendo puxados no momento em que os espasmos de um orgasmo tomaram conta do corpo de Isa. Vislumbrou o máximo do prazer no rosto da amada e o sentiu. Isa não cessou os movimentos que fazia, pois percebeu que Gabi a seguiu, com a mesma intensidade. Fez com que ela viesse junto, tomou-lhe a boca, abafando os sons daquela entrega. Aos poucos seus corpos diminuíram o ritmo do movimento, mas não pararam totalmente. Continuaram se movendo lentamente, uma na outra. Até sentirem-se extasiadas daquele gozo. Ficaram deitadas, olhando uma para a outra. Desta vez Gabi não teve receio de mergulhar naquele mar azul e Isa deixou-se queimar pelas labaredas que Gabi lhe lançava. Entregaram-se naquela noite, novamente... e novamente... e novamente. Experimentaram-se juntas, beberam uma na outra, possuíram uma a outra e entregaram-se na mesma intensidade. Não perceberam quando a lua entrou no quarto e as enlaçou em uma aura luminosa e gentil. Dormiam abraçadas.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Wind, pelo amor de Deus rs, cadê o resto do conto?! preciso continuar a ler.
    Você é uma ótima escritora, tenho as minhas preferidas e você tenha certeza está entre elas.
    Continue como você é, o seu modo de escrever, nunca mude seu jeito único de ser.
    Por favor, posta vai! rsrs
    Att.
    Isabela Pereira

    ResponderExcluir
  3. Muitíssimo bacana!
    Estou conhecendo agora seus textos e acho que esta progredindo cada vez mais! Parabéns! Mais uma ótima escritora pra gnt acompanhar! ;)
    Bjao

    ResponderExcluir